Cinco motivos para manter seu gato dentro de casa

Muitas pessoas costumam achar que os gatos, naturalmente, devem ter uma vida livre, com acesso à rua. Porém, há décadas, médicos veterinários e especialistas em gatofilia defendem que esta não é a melhor maneira de manter um felino doméstico. Além de maus tratos, quando tem acesso ao lado de fora da casa, o animal fica mais suscetível a doenças, acidentes e outros perigos. Confira alguns motivos para mantê-los no aconchego do lar:

Gatos podem pegar doenças infecciosas

Doenças como FIV, FELV e PIF são comumente encontrada nas ruas e, especialmente, em locais onde há uma aglomeração exagerada e não planejada de gatos domésticos. Sem cura, estas enfermidades diminuem consideravelmente a vida do seu animal, bem como muitas vezes o fazem sofrer ao longo do processo.

Atropelamentos e acidentes

Gatos que têm acesso livre às ruas costumam explorar locais diversos, atravessando ruas e avenidas. Quando se assustam com algo, é natural que tentem fugir ou correr, o que pode fazer com que eles sejam atropelados, por exemplo.

Brigas com outros animais

Acidentes e brigas entre animais, como outros gatos ou cães, também não são raros. Existem relatos de brigas entre gatos que foram tão violentas quanto ataques de cachorros, com arranhões que deixam cicatrizes imensas e colocam suas vidas em risco. Algo comum durante estes embates também é o fato de um dos animais poder cair do telhado ou do muro, trazendo consequências ainda piores.

Seu gato pode ser roubado

Quando o gato é muito dócil, a atenção deve ser redobrada. Há pessoas que, ao encontrarem gatos na rua, os levam para suas casas sem sequer procurar saber se eles possuem dono ou não. No caso de gatos pretos, a preocupação é ainda maior, pois infelizmente existem indivíduos que os utilizam para práticas religiosas.

Os riscos da toxoplasmose

Muito se fala sobre a relação entre os gatos e a transmissão de toxoplasmose aos seres humanos. Esta zoonose (doença transmitida pelos animais) gera uma série de controvérsias, mas hoje se sabe que a contaminação por alimentos é muito mais comum. Se o seu gato possui o hábito de caçar quando está fora, esse risco aumenta, uma vez que felinos que se alimentam de aves ou ratos podem ter contato direto com o protozoário causador do problema.