Pulgas em cachorros vão muito além da coceira

Você sabia que as pulgas podem deixar seu cachorro doente e até com problemas comportamentais? A pulga é o parasita externo de cães mais conhecido entre os donos de pets. Quando há uma infestação, é extremamente difícil acabar com ela e, por isso, prevenir é sempre a melhor solução.

As pulgas não estão somente presentes em cães e gatos, mas também no ambiente em que esses animais vivem e isso não se restringe somente à cama dos bichos, estando presentes também em sofás, frestas do chão e cantos da parede, por exemplo.

De acordo com o médico veterinário Rafael Galesco, as pulgas podem causar doenças de pele, verminoses e estresse nos cachorros. “Os cães podem apresentar dermatites causadas pela reação alérgica à saliva da pulga no momento da picada. A DAPP (Dermatite Alérgica por Picada de Pulga) faz com que o animal apresente uma coceira severa, muitas vezes com perda de pelo e vermelhidão no local”, explica o especialista.

“Além disso, a pulga é responsável pela transmissão do Dipylidium Caninum, verme causador de diarreia, perda de peso e letargia, podendo chegar a quadros de anemia”, revela Rafael.

Mudanças comportamentais também podem estar ligadas à presença de pulgas, segundo o especialista. “Animais acometidos por pulgas podem apresentar irritação, mudança de comportamento e até agressividade em virtude de coceira constante”, afirma.

Se seu cachorro está com puliciose (infestação por pulgas), procure a orientação de um médico veterinário e fuja de receitas caseiras. Algumas indicações que encontramos na Internet podem colocar a vida do seu animal em risco.

Atenção: algumas raças de cachorro são sensíveis a substâncias presentes em alguns anti-pulgas.

Rafael Augusto Galesco é Médico Veterinário, pós-graduado em cirurgia, anestesia e fisioterapia, proprietário do Banco de Sangue Veterinário BSVET e da Clínica Veterinária Galescão.