Todo cachorro pastor sabe pastorear? Especialista responde

Ronny Vitorili, um dos principais nomes do pastoreio no Brasil, fala ao Yupets sobre alguns mitos que frequentemente são passados quando se fala em cachorros pastores. Afinal, este grupo de cães realmente já nasce sabendo exercer esta função de direcionar outros animais sem machucá-los, utilizando somente artifícios de controle mental e olhar penetrante? Confira abaixo:

Yupets: Como funciona o pastoreio e quais animais comumente são pastoreados?
Ronny: O pastoreio é dividido em três categorias principais: Novatos, Ranch e Open. Todos costumam ser feitos com rebanhos de ovinos e de bovinos.

Yupets: Qualquer cachorro pode participar desta atividade?
Ronny: Sim, desde que cumpram todo o percurso e façam isso de forma competitiva.

Yupets: Existem raças que se destacam naturalmente?
Ronny: Já vi algumas raças tentarem participar dos campeonatos de pastoreio, mas nenhuma se compara ao border collie… Kelpie, Australian catle dog (Heller), Australian Shepherd, entre outras são ótimas raças e não quero depreciar nem diminuir a importância de cada uma delas, mas o border collie é o suprassumo dos cães de pastoreio.

Yupets: A que você atribui essa “genialidade” dos borders nesta tarefa?
Ronny: O que faz o border collie um cão quase sobrenatural em esportes como Agility, Flyball, Dog Frisbee e outros é porque ele vem sendo selecionado por décadas ou até mesmo séculos para o pastoreio. Na região fronteiriça da Escócia e Inglaterra, cachorros foram selecionados e cruzados para ajudar os fazendeiros no serviço campeiro, buscar o rebanho, empurrar o rebanho e apartá-lo. Tudo isso feito entre pedras, riachos e mato alto, ou seja, um terreno de difícil acesso. Algo que, com o tempo, formou cães melhor preparados para inúmeros desafios.

Yupets: Nos últimos anos, temos notado um “boom” de borders na cidade grande. Você acha que isso pode ser um problema para a raça?
Ronny: Se continuarmos valorizando apenas os cães bonitos e não levarmos em consideração seu instinto para o trabalho, em algumas gerações corremos o risco de diluirmos o propósito principal do border collie: um cão pastor, versátil, super atlético e inteligente. Não quero dizer que o border collie não deveria praticar outro esporte fora o pastoreio, mas quero dizer com todas as palavras que a seleção de qualquer raça de trabalho (e o border collie principalmente) merece uma atenção especial, pois parece ser o cão da moda, então precisamos ser rigorosos e criteriosos. Afinal de contas, ele só é esse superatleta por causa da seleção de trabalho que recebeu desde a antiguidade até os dias de hoje por alguns criadores.

Yupets: Na sua opinião, o que é imprescindível para um bom cão de pastoreio?
Ronny: Um bom cão de pastoreio precisa ser, em primeiro lugar, escolhido baseado no conjunto instinto – comportamento – atitude. Para isso, precisa vir de uma família sólida no pastoreio, pois só assim nossa expectativa será atendida. Um cachorro de alta performance no pastoreio precisa ser intenso, comprometido, apaixonado pelo
que faz, treinado, disciplinado, ter oportunidades para evoluir e ser obediente sem ser robô.

Yupets: Os cursos de pastoreio que costuma ministrar são voltados para algum público específico ou restrito aos borders e pastores de alta performance?
Ronny: Não, imagina! Mesmo entendendo que o border collie é o que existe de melhor quando se fala em pastoreio, devo lembrar que “ser um border collie” não garante que vá pastorear. Eu deixo sempre aberto para os proprietários de outras raças, mas que querem conhecer mais sobre pastoreio, que possam participar das clinicas que ministro.

Yupets: Como você resumiria o pastoreio?
Ronny: O pastoreio é um esporte apaixonante, vibrante, 
viciante e, uma vez exposto ao “mundo” do pastoreio, dificilmente você conseguirá sair dele. É um “vício” e um investimento que faz muito bem tanto para o proprietário quanto para o cão. Ele nos salva da correria frenética desse mundo atual.