Raios solares podem ser perigosos e benéficos para os pets

Assim como acontece com os humanos, cachorros e gatos precisam tomar sol frequentemente. Os raios solares são responsáveis pela absorção de cálcio por meio da vitamina D, que apesar de também ser encontrada em farmácias e pet shops, não deve ser substituída por cápsulas. Nenhum suplemento ou medicamento substitui os benefícios do sol, mas é preciso ter cuidados quando falamos de pets.

O horário ideal para deixar um animal sob o sol é sempre antes das 10h da manhã ou no final da tarde, quando os raios são menos fortes e mais benéficos para a saúde. Tomar cuidado com o chão demasiadamente quente também é essencial durante as caminhadas e o tempo que o bichinho ficará no quintal, por exemplo. Teste sempre com seus próprios pés ou mãos para saber se a temperatura do chão está suportável. Evite queimaduras graves nos coxins (as almofadinhas) do seu amigo de quatro patas.

Quando a exposição aos raios solares for muito intensa e diária, é recomendado utilizar protetores solares específicos para animais de estimação. O focinho e as orelhas são áreas bastante sensíveis e requerem uma atenção redobrada.

Cães e gatos claros (brancos, dourados ou albinos) jamais devem ser “esquecidos” do lado de fora. A aparição de pontinhos pretos em algumas regiões da pele ou feridas/ “machucados” que não se curam devem acender um sinal de alerta para os donos do animal. A ocorrência de câncer de pele em cachorros e gatos é uma realidade e não deve ser ignorada.

As dermatites solares e queimaduras podem ainda ser problemas menos graves do que tumores, mas que pedem uma consulta detalhada com um especialista. Fique de olho se algumas parte do corpo do animal muda de cor ou fica com um aspecto mais escurecido.

Apesar de vivermos num País tipicamente quente, as temperaturas estão cada vez mais elevadas e nossos animais de estimação também levam um tempo para se adaptarem. Esteja sempre atento.