Ser uma empresa pet-friendly pode fazer bem para os negócios

Quem trabalha com animais sabe que somente pela presença deles, podemos ter um dia menos estressante e mais gratificante. Ter um pet por perto, comprovadamente, diminui nossos batimentos cardíacos, diminui a ansiedade e aumenta a liberação de ocitocina, o famoso “hormônio do amor”, o mesmo liberado pelas fêmeas quando estão em trabalho de parto ou amamentando seus filhotes.
 
 
Nos últimos anos, muitas empresas – mesmo que não sejam do mercado pet – estão aderindo à moda de permitir a presença de cães e gatos dentro do ambiente corporativo e o resultado disso costuma ser excelente não somente para os funcionários, mais principalmente para os gestores e donos do negócio.
 
De acordo com a psicóloga Vana Bedaque, ter um bichinho no local de trabalho torna o ambiente menos carregado e mais descontraído, fazendo com que as pessoas interajam mais entre si e fortalecendo o vínculo entre os indivíduos. De modo geral, podemos dizer que ter um cachorro, gato ou até um bichinho mais exótico no trabalho gera motivação, otimização e crescimento.
 
 
Existem diferentes tipos de empresa “pet-friendly” e todas as opções são válidas, mas as mais comuns são permitir um revezamento entre os colaboradores, de modo que cada um leve seu pet uma vez na semana ou a cada quinze dias, ou ter um pet fixo no local, onde todos são responsáveis por ele e dividem tarefas como alimentação, carinho e, claro, levar para fazer suas necessidades.