Ansiedade de separação – Como amenizar este problema

A ansiedade de separação, como o próprio nome sugere está relacionado a manifestações de ansiedade (impaciência, mal estar físico ou psíquico, nervosismo etc) ao ver-se longe de algo ou alguém que o indivíduo tem como referência. O Transtorno de Ansiedade por Separação é algo comum aos seres humanos e também aos animais, especialmente àqueles que vivem muito próximos de nós.

Crianças de até três anos de idade costumam ficar ansiosas quando estão longe de seus pais ou responsáveis, normalmente por medo de estarem sozinhas e do desconhecido, mas isso se torna um problema quando o quadro se agrava e elas passam a ter comportamentos diferentes por conta disso. O mesmo acontece com nossos pets e engana-se quem pensa que somente cachorros passam por isso. Gatos, aves e demais pets podem sofrer pela ausência de seus tutores, pela falta de um animal querido ou até mesmo por objetos…

Logo que sai do convívio com a mãe e seus irmãos, os pets costumam chegar em uma casa estranha, muitas vezes sem animais, com pessoas completamente diferentes que querem brincar com ele e manipular de todas as formas possíveis. Em pouco tempo, ele cria um laço com esses indivíduos e não consegue entender o que faz com que eles venham e vão a todo tempo. Esse ir e vir gera expectativas e ansiedade e quando reforçamos esse tipo de comportamento, a tendência é que ele sinta mais todas as vezes que se vê longe de tudo aquilo que ele estima.

Acostumar o cão ou gato a ficar sozinho desde filhote é algo importante. Para amenizar o tempo ocioso, podemos oferecer diversos tipos de atividades que ele consiga realizar sozinho para se ocupar e não ter atitudes destrutivas (nem pra ele e nem pro ambiente). Muitas vezes, introduzir um outro animal é uma boa opção. Cachorros que choram demais ou gatos que miam em excesso podem ser um problema se você mora em apartamento.

Se não foi possível buscar alternativas desde cedo para seu animal e ele já sofre com isso, o ideal é ir dessensibilizando aos poucos, fazendo exercícios para que ele se acostume com a ausência do outro. Paciência e compreensão são a chave para o sucesso.